Laboratório de Psicanálise, Processos Criativos e Interações Políticas (LAPCIP)
  • Abertas as inscrições para o curso ‘Brechas no Fascínio, Fragmentos que Despertam’

    Publicado em 20/10/2021 às 17:47

    Ementa: As obras de arte podem ser lidas sob diferentes abordagens teóricas. Nesse curso, focaremos na perspectiva da psicanálise, sobretudo a partir das contribuições dos psicanalistas Sigmund Freud e Jacques Lacan. A partir de textos centrais nas obras desses autores, apresentaremos a perspectiva epistemológica da psicanálise e destacaremos eixos diferenciais de sua abordagem sobre a cultura e sobre a arte. Os artistas são considerados, por Freud, antenas do seu tempo, estando um passo à frente, colocando em cena os vapores das novas ideias. A partir de uma estética negativa, a psicanálise, abre brechas no fascínio, não supõe a plenitude e não visa ocupar-se prioritariamente sobre o belo. Voltada ao estranho, sublinha as aberturas, as incoerências e os múltiplos sentidos que habitam as obras. Nesse movimento de interrogação, análise das contingências e dos significantes, pauta suas interpretações que buscam pontuar perspectivas singulares e culturais, sem com isso tamponar a obra com seu saber.

    A obra do filósofo e historiador Georges Didi-Huberman também será destacada. Suas produções auxiliam-nos a refletir sobre as contribuições do saber psicanalítico e benjaminiano, na análise das obras de arte. O estranhamento do olhar sustenta uma estética negativa e os enlaces entre mal-estar, sujeito e desejo. As relações entre sintoma, imagem e cultura instigam-nos a uma postura crítica, que rompe com um pensamento único, pois é através dos traços da cultura que se pode acessar as diferenças e singularidade que coabitam uma mesma época e que tendem a ficar de fora da história hegemônica. Nessa perspectiva, a obra de arte revela-se como fragmento da cultura, sintoma de um tempo, objeto que articula singularidade e laço social.

    Aula 1: Introdução às relações entre Arte, Psicanálise e Política
    Aborda o conceito de obra de arte, processo criativo e contingências sócio-histórico-culturais, destacando a dimensão do risco da criação. Revisita textos fundamentais da psicanálise e o modo como Freud debruçava-se sobre as obras de arte. Analisa, assim, a obra de Leonardo Da Vinci: “A virgem e o menino com Sant’Ana” (1508-1513) e o valor do infantil, do inacabamento e da finitude que evoca. Reflete que a psicanálise está em posição de escutar e atribuir palavras decisivas para as questões que dizem respeito à vida imaginária da humanidade.

    Aula 2: Estética Negativa
    Articula a questão da estética para além do belo, ocupando-se das dimensões que atravessam a criação, tais como a efemeridade do tempo e os horrores provocados pela civilização. Destaca-se as obras dos artistas: Renné Magrite, “Os Amantes”, 1928; “Par de botas”, 1934 e Mário Ayguavives “Otro Cuerpo”, 1997, que instigam a refletir sobre a fantasia, o estranho e o duplo, elementos fundamentais nessa estética negativa.

    Aula 3: O Olhar e as fraturas no fascínio
    Analisa a concepção de sujeito para a psicanálise e sua ética. Destaca a dimensão pulsional do olhar, enquanto repetição e diferença, promovendo fraturas no fascínio que supõe a completude. Destaca-se as obras: “Os Embaixadores”, 1533, de Holbein; “Die”, 1962, de Tony Smith e “Morte eu sou teu”, 1997, de Karin Lambrecht, que permitem refletir sobre as distorções da forma e sobre a função da morte em suas relações com o olhar e com o fascínio.

    Aula 4: Imagem & Tempo: fragmentos que restam
    Diante da imagem, estamos diante do tempo. Análise do tempo articulado às obras e da função da imagem. Através do olhar e do desejo utópico, algo resta, se transmite e se compartilha, mesmo ante ao mal entendido. Através das obras: “A virgem das sombras”, 1440, de Fra Angelico; “1965/1 – ∞ “, de Roman Opalka e “Silhuetas séries”, 1979, de Ana Mendieta, realiza uma leitura anacrônica das obras, sublinhando o valor da descontinuidade, da transitoriedade, do luto e das políticas da vida.


  • Lançamento do livro “Desigualdade, Diferença, Política: análises interdisciplinares em tempos de pandemias”

    Publicado em 13/10/2021 às 17:03

    É com muita alegria que convidamos à todes para o lançamento do livro:

    📚 “Desigualdade, Diferença, Política: análises interdisciplinares em tempos de pandemias” – Mériti de Souza (org.), Editora Appris.

    🗓Data: 21/10/2021
    ⏰Horário: 18:30

    Onde: Canal NemPsic YouTube
    https://www.youtube.com/watch?v=8we1q2TfTlU

    Haverá emissão de certificado às pessoas inscritas (inscrição acontecerá no momento do evento via chat)

     


  • Convite para o lançamento do livro “Memórias de um doente dos nervos”, de Daniel Paul Schreber – 14/09/21

    Publicado em 30/08/2021 às 19:21

    [Atualização 31/08] As inscrições para participar pelo Zoom foram encerradas! Trasmissão pelo Youtube do Nempsic UFSC.


  • Apresentação no XI Simpósio Brasileiro de Psicologia Política

    Publicado em 18/08/2021 às 14:01

    *Participação apenas mediante inscrição no evento.


  • 39º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul (SEURS)

    Publicado em 18/08/2021 às 13:56


  • 30/08/21 – Seminário Online da Ênfase Saúde e Processos Clínicos (Curso de Psi/UFSC) – Acompanhamento Terapêutico: Clínica e Criação na Cidade

    Publicado em 14/08/2021 às 22:05


  • Seminário Psicanálise, Política e Cultura: diálogos entre pesquisa e extensão

    Publicado em 08/06/2021 às 14:02

    Transmissão: https://www.youtube.com/channel/UCvAUVZyxisILAM9hMgzutEQ
    Inscrições pelo chat no horário do evento.


  • Projeto de Extensão: Acompanhamento Terapêutico: clínica e criação na cidade (2020.1)

    Publicado em 17/12/2020 às 21:14

      


  • Serviço Essencial: Artes Visuais

    Publicado em 03/12/2020 às 08:58

    https://youtu.be/ZyfVKm9Wxuo


  • Política no Divã – A arte salva? A potência afetiva dos processos criativos

    Publicado em 15/11/2020 às 19:15